Chroma-key no Cinelerra

Fazer Chroma-key no ArtistX é o nosso desafio.
Queremos usar o chroma no Cinelerra - um efeito que já vem junto com o programa.
O Cinelerra vem junto com a suíte do ArtistX. Como a suíte do ArtistX é baseada no Ubuntu fazer chroma no Cinelerra = fazer chroma no ArtistX = fazer chroma no Ubuntu.

Em nossa pesquisa encontramos pouco material sobre chroma no Cinelerra.
Poucos tutoriais, pouquíssimos vídeos, quase nada em português.
Deu pra ver que em terras tupiniquins muita gente usa o premiére pirata de 10 reais.
Mas nossa opção é pela legalidade, é pelo linux, e por isso seguimos em frente.

Todo problema do chroma reside na iluminação.
A iluminação é a chave do chroma bem feito.
Por isso optamos pela iluminação de 5 pontos (que está na apostila de iluminação aqui mesmo nesse blog).
A iluminação consiste em:
- 2 canhões de luz para o fundo
- 1 luz principal para a atriz (que participou do teste)
- 1 luz secundária para a atriz
- 1 luz de recorte (atrás da atriz, para o cabelo e os ombros)

Montamos uma mesa de luz com 6 dimmers para controlar a intensidade dos refletores. Num espaço maior você pode afastar o refletor da tela de fundo ou da modelo para dar o mesmo resultado.

Primeiro iluminamos só a tela azul (escolhemos o azul por diversos motivos técnicos, especialmente por causa das cores das personagens da série de TV que vamos filmar. A série será filmada com fantoches e a muitos fantoches tem verde no cabelo ou no rosto. Sendo assim optamos pelo azul).

Depois desligamos as luzes do fundo e iluminamos a atriz.
Tivemos o cuidado de não projetar a sombra da atriz no telão azul.
Tivemos o cuidado também de manter a iluminação do fundo bem homogênea.
O rosto da atriz foi deixado em 2º plano, pois nos concentramos no efeito chroma, nesse primeiro momento.

Colocamos a atriz a 1,5m da tela azul e depois a 1,2m
Percebemos que a cada vez que você mudar a atriz de lugar terá que refazer a afinação de luz - mas essa é uma característica da iluminação de 5 pontos (não é um problema específico do chroma).

Usamos para a tela azul do chroma um tecido azul escuro fosco (não-reflexivo).




Cuidado! A filmadora vê coisas que você não vê.
Na afinação de luz alguns pontos desiguais que você não vê a filmadora registra.
Veja o caso do canto da foto, lado superior direito: há uma área retangular mais escura que não deveria estar aí.
Contra todos os nossos cuidados - e numa última mexida que demos - a sombra de um dos fios resolveu "dizer xix" e aparecer na filmagem. Outra vez: todo cuidado é pouco.

Depois de filmado nós capturamos a imagem pelo programa Kino.
Em nossas pesquisas esse sistema apareceu frequentemente: captura e exporta pelo kino + importa para o cinelerra.
Foi o que fizemos: capturamos pelo kino (através da entrada IEEE = se o seu kino tem problemas com a captura pela placa IEEE tem um truque pra ele reconhecer a placa = pergunte-me) + exportamos e depois abrimos o cinelerra e importamos o arquivo.

No cinelerra abrimos uma 2ª pista de vídeo.
Na primeira pista colocamos o cenário de fundo. Na segunda pista colocamos a filmagem da atriz e arrastamos o efeito chroma.
Daí ajustamos os controles de chroma até alcançar o melhor resultado possível.

O resultado foi esse:


-
Analisando a filmagem e o efeito vemos que existe uma borda azul-escuro em volta da atriz.
Esse halo aparece mais do lado direito da imagem do que do lado esquerdo.
Na verdade no ombro do lado esquerdo é onde a borda aparece menos.
Nossa contra-luz estava exatamente do lado esquerdo da atriz e pegou mais por sobre o ombro.
Vemos também que houve um serrilhamento da imagem. Veja:




Há 2 soluções possíveis:

- aplicar mais vezes o efeito chroma na pista, até retirar a aura que ainda permaneceu

- colocar a luz de recorte (ou "luz de cabelo") atrás da atriz e acima dela. Assim poderemos iluminar mais homogeneamente o cabelo e os ombros.

Optamos pela segunda solução para o próximo teste.

Observação: na imagem que você vai ver empregamos os seguintes efeitos do cinelerra:
- chroma
- aguçar
- balanço de cores
- gama
Fizemos isso porque notamos que ao aplicar o efeito chroma o programa tira um pouco da cor e do brilho da atriz. O chroma sozinho tira a sensação 3d da atriz - quando colocamos o cenário atrás a imagem fica falsa = parece que a atriz não está ali.
Quero ressaltar que esse problema (da atriz com chroma ficar falsa) acontece também com o premiére, como vimos em vários vídeos na internet.
Mas no cinelerra você consegue compensar e devolver o 3d à atriz com os efeitos acima.

Veja o vídeo do primeiro teste:
www.youtube.com/watch?v=S2D984lyAM0

Logo estaremos postando o resultado do 2º teste de chroma com o cinelerra.
Em tempo: também testamos o chroma com o Openshot - outro programa de vídeo aberto para linux. A cada versão o Openshot surpreende com mais efeitos e mais estabilidade.
O resultado do chroma no cinelerra ficou bem melhor que no openshot.
São programas que inovam a cada versão e não tenho dúvidas que já é um concorrente grande do premiere e será cada vez mais.

Entre para o grupo ArtistX e receba gratuitamente notícias sobre Edição de vídeo no linux:

Assinar artistx


Desenvolvido por br.groups.yahoo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam pela Moderação antes da publicação.