Como fiz o teste de chroma no Cinelerra - 11/6

Relatório do diretor Emílio Carlos sobre o teste de chroma-key feito no Cinelerra.
Lembrando que o programa já vem junto com a suíte ArtistX linux:

"1 - a cenógrafa Miléni Lúcia criou um cenário de fundo no programa Inkscape.
Foram testados vários tamanhos de cenário no cinelerra. Cheguei a conclusão que usar o tamanho 720x480 seria melhor. Depois, por causa da margem de segurança do cinelerra, decidi diminuir o cenário em 5% do seu tamanho - ainda no inkscape.
Esse cenário foi exportado no Inkscape no formato png.
2 - no Gimp: importei o cenário em png e exportei em jpeg.
3 - abri o cinelerra. Importei o cenário para o programa. Criei mais uma pista de vídeo.
Arrastei o cenário para a pista 1 (a de baixo). Depois aumentei a duração do cenário para 20 segundos e salvei o projeto.
4 - usei iluminação de 5 pontos sendo: 2 pontos para a tela azul e 3 pontos para a atriz (luz principal, luz secundária e luz de recorte).
5 - afinei a luz de forma a deixar a iluminação da tela o mais homogênea possível. Depois desliguei as luzes do fundo e afinei as luzes da atriz - aqui me preocupei com não projetar sombra da atriz na tela.
6 - gravei 30 segundos da atriz na frente da tela azul, falando alguma coisa.
7 - levei a filmadora para a ilha de edição. Abri o kino e importei a cena da atriz para o kino. Depois exportei a filmagem no formato avi tipo 1 - aceito pelo cinelerra.
8 - no cinelerra importei o trecho filmado e coloquei na pista de cima. Acrescentei o efeito chroma, cliquei na lupa e fiz os ajustes do programa, até que o fundo azul sumisse e a atriz ficasse com o novo cenário de fundo.
9 - essa semana faremos novo teste com mais luz atrás da atriz. Vou colocar 2 refletores atrás do telão azul para iluminar a cabeça e os ombros da atriz, em busca de eliminar a aura que ficou.
10 - todos os refletores usados são de 150w."

O esquema de 5 pontos de luz:

- 2 refletores para o fundo azul (um de cada lado)
- 3 refletores na atriz (luz principal, luz secundária, luz de recorte)
A iluminação da atriz segue o esquema abaixo:




Você encontra a apostila que o Estúdio montou sobre como fazer chroma no Cinelerra aqui no blog:

1 - Tutorial como fazer chroma key - parte 1

2 - Tutorial como fazer chroma key - parte 2

3 - Tutorial como fazer chroma key - parte 3

4 - Tutorial como fazer chroma key - parte 4

5 - Tutorial como fazer chroma key - parte 5

6 - Tutorial como fazer chroma key - parte 6

7 - Tutorial como fazer chroma key - parte 7

8 - Tutorial como fazer chroma key - final



Edite seus filmes em vob




Filmes que estão em dvd tem formato vob.
O cinelerra também edita filmes em vob.
E com uma precisão magnífica.

Veja como estamos editando a coleção "Memória do Teatro de Bonecos":

1 - as peças de teatro foram filmadas em VHS-C
2 - passamos as fitas VHS-C para um aparelho DVD de mesa.
3 - todas as peças ficaram no formato .vob
4 - com isso eliminamos a necessidade de placa de captura de vídeo. Todas as peças foram para DVD
5 - passamos o conteúdo de cada DVD para o computador (cada arquivo está em .vob)
6 - abrimos o cinelerra
7 - importamos o arquivo do filme para o cinelerra

Pronto! Fácil, prático e rápido.
Sem precisar converter vob para avi.
(O cinelerra também edita em avi).

Mais uma solução brilhante da suíte ArtistX.

Entre para o grupo ArtistX e receba gratuitamente notícias sobre Edição de vídeo no linux:

Assinar artistx


Desenvolvido por br.groups.yahoo.com

Cinelerra x Premiére


Há produtoras que ainda não conhecem o cinelerra.
Cinelerra é um poderoso editor de vídeo profissional, cheio de recursos e aberto.
Ou seja: o cinelerra é mais do que grátis - ele também é open. O que significa que você pode (se souber programação) melhorar o cinelerra.
O cinelerra é feito para rodar em linux.
(Na verdade muitos dos melhores programas grátis do windows hoje vieram do linux, sabia?)

O cinelerra vem instalado na suíte ArtistX.
Por isso você baixa o ArtistX e já usa o cinelerra.
Detalhe: o ArtistX é tão aberto que você pode usa-lo direto do seu gravador de dvd do PC. Ou seja: você nem precisa instalar o ArtistX para usar os programas.
O DVD é LIVE: basta você ligar seu computador + colocar o ArtistX na faveta do DVD + reiniciar o PC. Pronto! O ArtistX (com 2500 programas) começa sozinho.
Ele não vai instalar nada no seu PC. Não vai mudar uma única linha. A não ser que você queira instalar.
Depois que você usar basta reiniciar o PC. Ele vai "cuspir" O dvd Live e seu windows será o mesmo de sempre...
Mas se você quiser instalar o ArtistX ele é legal e você não precisa desinstalar o windows. Ao contrário: você pode ter o windows e o ArtistX rodando normalmente no seu PC, lado a lado.

Daí voltamos ao premiére x cinelerra.
O premiére hoje exige de um PC 64 bits com placa de vídeo N-vídia com acelerador + um montão de memória, processador rápido e HD grande. E mais conexão rápida da internet (mais de 256 kbps). E mais 10 gigas só para instalar o programa.
Vai rodar no Vista ou no Seven e exige uma super-máquina.
Ou seja: prepare seu bolso pra montar um computador novíssimo com dual core + comprar cópia original do windows + comprar cópia original do premiére. E se lembre: premiere é da empresa Adobe (que no geral tem interface com os outros programas da Adobe - mas não gosta muito de outros programas). Então prepare mais ainda seu bolso.

Ah: vai usar premiére piratex com windows capitão gancho? Bom, se prepare.
Além do risco da Polícia Federal bater à sua porta você ainda corre o risco de não conseguir atualizar seus programas (ou ficar com aquele avisinho irritante dizendo que sua cópia é ilegal).

E o cinelerra?
A suíte do ArtistX inteira (com 2500 programas) tem... 3,3 gigas.
Para rodar o cinelerra você nem precisa de placa de vídeo com acelerador.
Essa placa é usada no premiere para que você possa ver os efeitos especiais no vídeo em tempo real = ou seja: na hora em que você aplica o efeito você já vê o resultado (sem ter que renderizar).
Com o cinelerra todos os efeitos são em tempo real... sem placa de vídeo.
Significa que:
- você pode editar num laptop comum
- você pode editar num PC comum

Para o novo premiére seu computador já está velho?
Para o Cinelerra seu computador acaba de ficar 5 anos mais novo! Você ganha pelo menos mais 5 anos de vida para sua máquina! E com qualidade profissional.

Você usa o Cinelerra, que é para linux, que vem com o ArtistX, que é grátis, que tem atualizações constantes e gratuitas, melhora o rendimento da sua máquina e ainda sai da pirataria.
Que mais você pode querer?


Importante: o Cinelerra foi feito para uso profissional.
Iniciantes (acostumados com moviemaker) vão se dar melhor com o Openshot (entre outras opções linux para edição de vídeo voltadas para principiantes ou público que deseja fazer uma edição rápida de vídeo e fotos).

Entre para o grupo ArtistX e receba gratuitamente notícias sobre Edição de vídeo no linux:

Assinar artistx


Desenvolvido por br.groups.yahoo.com

Chroma-key no Cinelerra

Fazer Chroma-key no ArtistX é o nosso desafio.
Queremos usar o chroma no Cinelerra - um efeito que já vem junto com o programa.
O Cinelerra vem junto com a suíte do ArtistX. Como a suíte do ArtistX é baseada no Ubuntu fazer chroma no Cinelerra = fazer chroma no ArtistX = fazer chroma no Ubuntu.

Em nossa pesquisa encontramos pouco material sobre chroma no Cinelerra.
Poucos tutoriais, pouquíssimos vídeos, quase nada em português.
Deu pra ver que em terras tupiniquins muita gente usa o premiére pirata de 10 reais.
Mas nossa opção é pela legalidade, é pelo linux, e por isso seguimos em frente.

Todo problema do chroma reside na iluminação.
A iluminação é a chave do chroma bem feito.
Por isso optamos pela iluminação de 5 pontos (que está na apostila de iluminação aqui mesmo nesse blog).
A iluminação consiste em:
- 2 canhões de luz para o fundo
- 1 luz principal para a atriz (que participou do teste)
- 1 luz secundária para a atriz
- 1 luz de recorte (atrás da atriz, para o cabelo e os ombros)

Montamos uma mesa de luz com 6 dimmers para controlar a intensidade dos refletores. Num espaço maior você pode afastar o refletor da tela de fundo ou da modelo para dar o mesmo resultado.

Primeiro iluminamos só a tela azul (escolhemos o azul por diversos motivos técnicos, especialmente por causa das cores das personagens da série de TV que vamos filmar. A série será filmada com fantoches e a muitos fantoches tem verde no cabelo ou no rosto. Sendo assim optamos pelo azul).

Depois desligamos as luzes do fundo e iluminamos a atriz.
Tivemos o cuidado de não projetar a sombra da atriz no telão azul.
Tivemos o cuidado também de manter a iluminação do fundo bem homogênea.
O rosto da atriz foi deixado em 2º plano, pois nos concentramos no efeito chroma, nesse primeiro momento.

Colocamos a atriz a 1,5m da tela azul e depois a 1,2m
Percebemos que a cada vez que você mudar a atriz de lugar terá que refazer a afinação de luz - mas essa é uma característica da iluminação de 5 pontos (não é um problema específico do chroma).

Usamos para a tela azul do chroma um tecido azul escuro fosco (não-reflexivo).




Cuidado! A filmadora vê coisas que você não vê.
Na afinação de luz alguns pontos desiguais que você não vê a filmadora registra.
Veja o caso do canto da foto, lado superior direito: há uma área retangular mais escura que não deveria estar aí.
Contra todos os nossos cuidados - e numa última mexida que demos - a sombra de um dos fios resolveu "dizer xix" e aparecer na filmagem. Outra vez: todo cuidado é pouco.

Depois de filmado nós capturamos a imagem pelo programa Kino.
Em nossas pesquisas esse sistema apareceu frequentemente: captura e exporta pelo kino + importa para o cinelerra.
Foi o que fizemos: capturamos pelo kino (através da entrada IEEE = se o seu kino tem problemas com a captura pela placa IEEE tem um truque pra ele reconhecer a placa = pergunte-me) + exportamos e depois abrimos o cinelerra e importamos o arquivo.

No cinelerra abrimos uma 2ª pista de vídeo.
Na primeira pista colocamos o cenário de fundo. Na segunda pista colocamos a filmagem da atriz e arrastamos o efeito chroma.
Daí ajustamos os controles de chroma até alcançar o melhor resultado possível.

O resultado foi esse:


-
Analisando a filmagem e o efeito vemos que existe uma borda azul-escuro em volta da atriz.
Esse halo aparece mais do lado direito da imagem do que do lado esquerdo.
Na verdade no ombro do lado esquerdo é onde a borda aparece menos.
Nossa contra-luz estava exatamente do lado esquerdo da atriz e pegou mais por sobre o ombro.
Vemos também que houve um serrilhamento da imagem. Veja:




Há 2 soluções possíveis:

- aplicar mais vezes o efeito chroma na pista, até retirar a aura que ainda permaneceu

- colocar a luz de recorte (ou "luz de cabelo") atrás da atriz e acima dela. Assim poderemos iluminar mais homogeneamente o cabelo e os ombros.

Optamos pela segunda solução para o próximo teste.

Observação: na imagem que você vai ver empregamos os seguintes efeitos do cinelerra:
- chroma
- aguçar
- balanço de cores
- gama
Fizemos isso porque notamos que ao aplicar o efeito chroma o programa tira um pouco da cor e do brilho da atriz. O chroma sozinho tira a sensação 3d da atriz - quando colocamos o cenário atrás a imagem fica falsa = parece que a atriz não está ali.
Quero ressaltar que esse problema (da atriz com chroma ficar falsa) acontece também com o premiére, como vimos em vários vídeos na internet.
Mas no cinelerra você consegue compensar e devolver o 3d à atriz com os efeitos acima.

Veja o vídeo do primeiro teste:
www.youtube.com/watch?v=S2D984lyAM0

Logo estaremos postando o resultado do 2º teste de chroma com o cinelerra.
Em tempo: também testamos o chroma com o Openshot - outro programa de vídeo aberto para linux. A cada versão o Openshot surpreende com mais efeitos e mais estabilidade.
O resultado do chroma no cinelerra ficou bem melhor que no openshot.
São programas que inovam a cada versão e não tenho dúvidas que já é um concorrente grande do premiere e será cada vez mais.

Entre para o grupo ArtistX e receba gratuitamente notícias sobre Edição de vídeo no linux:

Assinar artistx


Desenvolvido por br.groups.yahoo.com